top of page

Seca e incêndios na causa da perda da Bandeira Azul em Côja e Piódão

A praia fluvial da Cascalheira, em Secarias, vai hastear na época balnear de 2023 a Bandeira Azul pelo sétimo ano consecutivo. Quanto às praias fluviais de Piódão e Côja, distinguidas com galardão nos últimos sete e cinco anos, respetivamente, viram o nível de qualidade da água balnear passar de “excelente” para “boa”, não lhes sendo permitido renovar a Bandeira Azul.



A diminuição de bandeiras azuis no concelho é consequência de fenómenos extremos registados no verão de 2022, como a seca e o incêndio que devastou a Serra da Estrela, conforme explicou o presidente da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), José Archer, durante a cerimónia de entrega dos galardões.



O facto de 2022 ter sido o pior ano de seca em Portugal interferiu com a quantidade de água necessária para garantir o bom estado das águas dos anos anteriores. Paralelamente, a contaminação das águas com sedimentos e cinzas resultantes do incêndio no Parque Natural da Serra da Estrela viria, também, a revelar-se um fator prejudicial.


O Município de Arganil lamenta a perda das bandeiras azuis, lembrando que a boa qualidade da água balnear, bem como o conforto e a segurança que conferem aos seus utilizadores, continuam a fazer das praias fluviais de Côja e Piódão destinos inteiramente confiáveis e incontornáveis no verão de 2023.



A praia fluvial da Cascalheira, nas Secarias, é qualificada com excelente qualidade de água desde 2017. Símbolo máximo de qualidade ambiental atribuído pela ABAE, a Bandeira Azul será hasteada pela sétima vez consecutiva na Cascalheira a 17 de junho, data prevista para o arranque da época balnear no concelho, que se estende até 10 de setembro.


Foto: CMArganil

82 visualizações
bottom of page