top of page

PSD de Tábua contesta a não realização da FACIT - Feira Agrícola, Comercial e Industrial de Tábua

PSD de Tábua contesta a não realização da FACIT - Feira Agrícola, Comercial e Industrial de Tábua


No período antes da ordem do dia, o vereador Fernando Tavares Pereira, da coligação “Coragem para Mudar” do PSD/CDS, contestou o facto do executivo liderado pelo PS não ter realizado este ano a FACIT (Feira Agrícola, Comercial e Industrial de Tábua).”Não era uma semana, eram quatro dias, não seria com artistas nacionais mas com regionais, em vez de ser um palco alugado poderia ser um do próprio Município.


Para mim, foi um período muito negro na história do comércio e serviços de Tábua, porque os comerciantes gostariam de ter exposto os novos produtos que surgiram nestes dois últimos anos apesar dos efeitos negativos da pandemia. Temos é de promover e não retirar aquilo que custou muito a fazer ao Município ”, frisou o vereador Fernando Tavares Pereira, acentuando que se poderia ter efetuado o evento com poucos custos e muita dimensão nacional, tendo em conta as receitas que seriam obtidas, além de que o município tem equipamentos que garantiriam a sua realização. E numa intervenção posterior sobre o mesmo assunto, sublinhou: “Desse a ordem à oposição para realizar essa Feira, nós assumiríamos esse evento e eu não queria nada da Câmara”.



Sobre a transferência de competências do Município para as freguesias, o representante do PSD referiu que atendendo às verbas a distribuir em causa “não vão ter condições para fazer quase nada, é mais um problema para as freguesias em que o Município se descartou”, aconselhando que se deveria ter feito a divisão administrativa do capital a atribuir àquelas autarquias através do FEF.


O vereador da mesma bancada, Vítor Melo, alertou para a perigosidade da nova ciclovia na Avenida de Coimbra, em Tábua, construída no meio da via e que é muito perigosa para quem nela circule, com o ciclista que nela queira entrar a ter de invadir sempre as faixas de rodagem, falando ainda na largura das saliências aplicadas no chão que limitam essa faixa poderem provocar acidentes, tanto para os ciclistas como para os condutores dos automóveis, exortando a Câmara a rever essa construção de forma a criar maior segurança.



Relacionado com esta ciclovia, Fernando Tavares Pereira alertou para a forma deficiente como foi estruturada a rotunda que dá acesso ao Hospital dos Continuados, impedindo a manobra de viaturas pesadas que têm de infringir a lei, passando por cima da rotunda e dos passeios, chegando mesmo a ter de invadir a faixa contrária.


Numa intervenção posterior em que se discutiu a extinção do clube de futebol tabuense UDT, o vereador Fernando Tavares Pereira questionou: “Gostaria de saber quem é que pagou a dívida à Caixa de Crédito quando acabou o G.D.Tabuense e o Tourizense e se criou a UDT? Quem é que pagou 2 mil euros por mês a essa instituição de crédito e como é que saíram da Câmara”. O PSD questionou ainda o Presidente sobre o que vai fazer com as verbas a atribuir a essa instituição desportiva agora extinta e que estavam orçamentadas.



O grupo do PSD não se opôs ao plano apresentado pelo executivo de reduzir os custos da iluminação pública, o chamado PDIP, Plano Diretor de Iluminação Pública - atendendo aos benefícios financeiros que vai comportar, sempre importantes nesta época de crise, considerando mesmo ser uma boa estratégia que se invista à medida que se vai poupando.


Artigo e foto: Comunicado PSD Tábua

110 visualizações

Comentarios


bottom of page